Feeds:
Posts
Comentários

Archive for junho \19\UTC 2009

Liberdade

Salvador-Película

Estava  eu no ventre de minha mãe quando a história deste homem começou: Salvador Puig Antich. Não é parente ou aderente meu, mas ao assistir a película, senti uma certa proximidade, desconfio que tenha sido por seus ideais e determinação não heróica.

1973 – Ditadura na Espanha, Governo do General Franco, onde vive o protagonista, e ditadura no Brasil, Governos dos Generais Garrastazu Médici (1969-1974) e do General  Giesel (1974-79). Os crimes de Estado em benefício do Estado Nacional de Direito passam pela tortura e assassinato de vozes dissonantes sobre o regime. Trabalhadores e estudantes então ousam levantar sua voz a favor da liberdade e da justiça. Piegas, não é? Seria, se não fosse de fato trágico.

No filme Salvador (http://www.youtube.com/watch?v=iqCyiFob5iA) veremos atos ousados, mas não heróicos. A luta de um grupo de jovens estudantes para acabar a ditadura e realizar a revolução.

Seria mais um filme panfletário, não fosse por um roteiro vivido e original. Não fosse pela posição ante-heróica tomada por Salvador, não fosse pelo carcereiro franquista que se humaniza e rebela diante da injustiça. Não fosse por um Pai, que cala diante de um destino que poderia ter sido o seu, quando também lutou na Revolução Espanhola. Não fosse por um amor que acaba com uma namorada que se casa com outro, ou do salvador amor vivido entre um trago de mary juana e uma trepada com a nova namorada que sonha casar e fugir para um paraíso.

O lugar-cenário privilegiado é a cadeia, nada de bonito, de gracioso, mas ainda assim dourado pelas lentes do cineasta e as palavras do roteirista. Está lá apenas um homem, em meio a grades, cigarros, livros, basquete com o carcereiro e memórias contadas ao advogado.

Sua prisão afeta o equilíbrio morno mantido pelos militares ao ponto da ebulição social, quando decretada sua pena de morte. O jovem diz não querer ser mátir, diz querer viver. Não quer ser usado por partidos e igrejas. Quanta coincidência com o nosso mundo tão clichê do ante  clichê.

Jovem, anarquista, catalão-espanhol, ladrão de bancos: ele não era o salvador. Lutou junto com muitos pela liberdade. Filme com o roteiro de uma vida,  e direção vivaz. Salvador, assassinado pelo Estado mas vivo em nossos corações. O que  é Liberdade, quem é liberdade, por que lutar pela liberdade? Assisti o filme e vi e ouvi algumas respostas de Salvador Puig Antich. Estão convidados.

Read Full Post »

A miséria do meu ser,
Do ser que tenho a viver,

RIQUEZA

Tornou-se uma coisa vista.
Sou nesta vida um qualquer
Que roda fora da pista.
Ninguém conhece quem sou
Nem eu mesmo me conheço
E, se me conheço, esqueço,
Porque não vivo onde estou.

Rodo, e o meu rodar apresso.

É uma carreira invisível,
Salvo onde caio e sou visto,
Porque cair é sensível
Pelo ruído imprevisto…
Sou assim.

Mas isto é crível?

Fernando Pessoa

Read Full Post »